sábado, 25 de abril de 2009

MARATONISTA: SANDRA PARTRIDGE, minha xará......

Texto de SANDRA PARTRIDGE, minha
amiga Maratonista brasileira que mora nos EUA.

"Uau! Consegui!
Corri outra maratona no Sábado, quando eu participei da primeira Maratona annual
de Illinois em Urbana-Champaign. Foi uma corrida maravilhosa.
O DIA ANTERIOR À CORRIDA ...
Na Sexta-Feira, o tempo estava louco por aqui com ventos forte e fazendo aquele frio
em Chicago (ainda que com sol), e a previsão de tempo em Champaign era bem
pior. ahhhhhhhh. Porém a previsão para o dia da corrida era animadora com sol
e temperaturas amena. Oba! Assim, na Sexta-feira Santa, Patrick (meu marido)
e eu pegamos a estrada com destino a Champaign. Chegando no hotel
encontrei-me imediatamente com o Mark(meu companheiro de corridas) que
se hospedava no mesmo hotel) e de lá fomos imediatamente para a expo.
De volta da exposição decidimos ir diretamente a um restaurante para jantarmos
mais cedo. Depois do jantar retornamos diretamente ao hotel. Antes de dormir dei
uma olhada no mapa para tentar descobrir o caminho mais curto até o
estacionamento perto da “start Line” e naturalmente, das condições atmosféricas
para o dia da corrida. Nada animador. Ja na sexta-feira o vento chegou a estar a 30
mph e minha esperança era que no dia seguinte ele desapareceria ou estaria bem mais
calmo. Cai na cama por volta da 8:45 e adormeci imediatamente. Então, vamos ao
flashback de Sábado.Foi um dia quase que perfeito p/correr. Os organizadores
prometeram um percurso plano foi exatamente isto. O número de corredores foi o
menor em que eu havia participado. No total foram 9 mil incluindo 2,000 corredores
para maratona completa e os demais divididos entre a Meia Maratona, um Relay
e um 5K. Tudo estava bem organizado, e com muitos voluntários. A linha de chegada
foi a 50 yard (mais our menos 45 metros) do “Memorial Stadium”. O Memorial
Stadium é um estádio de futebol americano no campus da Universidade de Illinois
em Urbana-Champaign. O estádio é consagrado como um memorial aos homens
e mulheres de Illinois que morreram na Primeira e Segunda Guerra Mundial.
O estádio é utilizado principalmente como a casa do time de futebol da Universidade,
o Illinois Fighting Illini. Terminar a corrida neste estadio foi simplesmente
maravilhoso. Tive a sensaçãp de estar participando de uma olimpíada.
Nota 10!
O DIA DA CORRIDA....
Eu acordei às 4:30, tomei o café da manhã e fiquei esperando a hora de sair. Como
eu tinha que encontrar estacionamento, saí um pouco antes das 7. Estava muito frio
(- 2C), mas o sol estava brilhando e parecia que o dia seria lindo. As actividade
pré-corrida foi emocionante e inspirador como sempre. A maioria dos corredores
estavam usando as cores do meu estado (Illinois) e do time de futebol do local
(Laranja). Parecia que a cidade inteira estava desperta aquela hora (afinal é uma
cidade pequena) havia gente por todo lado e a multidão (espectadores) ja se amontoavam
nas ruas apesar do frio. Caminhando ate a linha de largada deparei com varios carros do
corpo de bombeiros desta cidade terminando de colocar um bandeira americana
gigantesca a poucos metros da linha da largada. O início da corrida foi super emocionante.
8 estudantes da Universidade de Illinois cantaram o Hino Nacional e foi muito legal.
Olhei ao meu redor e vi muitos rostos banhados em lágrimas, incluindo o meu.
Very emocional!
Foi dada a largada! Foi um começo fácil e fomos correndo para o norte, com o vento
diretamente em nossos rostos. Mas era relativamente leve e não me incomodava muito.
Como o meu objetivo era completar a corrida sem dores comecei em rítmo lento.
Não levei nem sequer o Garmin para não me preocupar com o tempo. Senti-me muito
forte durante quase toda a corrida. As primeiras 12 milhas foram mais facil do que
esperava. Sem dores e sem fatiga, mas eu notei que Mark que corria a meu lado até
então ficava um pouco mais atrás. Tentei anima-lo. Na metade do caminho eu estava
em 2:02, o que seria uma média meia para mim, eu estava sem dores e ainda bastante
forte nesse momento. Comecei a sentir um pouco de dores no joelho esquerdo e na
panturilha na milha 16 mais nada muito forte. Também tive que parar na na milha 17
para ir ao banheiro, coisa que nunca antes havia acontecido em corridas anteriores.
Na milha 18 Mark me disse “vá em frente” eu vou ter que caminhar pois estou com
muitas dores na região lombar. Me certifiquei que ele estaria bem e lá fui eu seguindo
o meu caminho. Entre as milhas 20 e 21 tive que dar uma parada para alongar pois
comecei a ter caimbra na perna direita e a panturilha doia bastante. Fui atendida por
voluntarios que me ajudaram no alongamento. Perdi um bom tempo entre a ida ao
banheiro e a parada para o alongamento. Não tinha outro jeito. Era parar para alongar
ou caminhar...As próximas seis milhas e meia foram difíceis. O vento estava cada vez
pior e cada passada que dava eram duas para trás. Mas mantive o rítmo o melhor
que pude. Agora eu seguia um corredor que usava uma camisa branca e laranja.
Este foi o ponto da corrida em que comecei a ver muita gente sair para os lados e
começar a andar. Eu estava feliz pois apesar das dores ainda conseguia correr. Neste
momento queria usar as pernas cançadas como desculpa para parar. Mas eu pensei
em todas aquelas pessoas que verdadeiramente lutam contra dores (como uma amiga
que sofre com câncer), e do percurso (verdade seja dita) Pensei em como eu tinha
treinado for 14 semanas enfrentando neve, frio, ventos, lesão etc, para desistir agora.
Agora não era hora de desistir. I am not a quitter!Cerca da milha 24, vi o Patrick e
um casal de amigos gritando meu nome. Acenei e continuei me arrastando até me
aproximar do “U of I(University of Illinois) estádio. A beleza da milha 25 é
que você sabe que só tem alguns minutos para terminar. Túnel abaixo e comecei a
correr de verdade. Milha 26 foi pouco antes da entrada do estádio. Eu arranquei como
uma verdadeira Queniana para terminar forte. O relógio estava marcando 4:15:55
quando cruzei a linha de chegada e ouvi o comentarista gritar:
Number 1286, Sandra Partridge of Chicago”.
Oh my god! Sou eu!!!! WOW!
Depois que eu recebi a minha medalha (por sinal uma beleza) peguei água, posei para
fotos (vou postar fotos em alguns dias) e esperei o Mark cruzar a linha de chegada.
Ele terminou 4:57: 55. Vitória!!! Terminar em 4:15:57 nada mal.
Depois de recorrer minhas coisas e encontrar com o Patrick e Sue (esposa do Mark)
fomos ao hotel para tomar aquele banho, almoçar e retornar a Chicago.
Cheguei em casa esgotada, dolorida, mas feliz por ter feito uma bela corrida,
que é uma bênção!! "
**********************
Minha xará, obrigada pela oportunidade de dividir com meus amigos
parte desta sua linda experiência. Digo parte porqque o que nós
vivemos durante uma Maratona é impossível traanscrever ou até mesmo
retratar com palavras. Tem q viver!!!
Beijos, adimiro-a cada vez mais.
********************
Aos meus amigos e queridos visitantes, beijos, abraços,
um final de semana muito do bem.
ULTRA Sandrinha
Sua Atleta Preferida

3 comentários:

runningirl disse...

Oi xará

Nossa!! que honra ter sido subjeto de um post em um blog tão legal e por uma ultra maratonista como você. THANK YOU! fiquei até emocionada. O respeito e admiração é mútua xará. Grata mais uma vez por esta honra e espero poder um dia correr uma bela maratona ao lado de uma super mulher e atleta: Você.

Abraço e outra vez muito obrigado.

Sandra

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Essa é a Sandrinha, show amiga parabéns por vc relatar aqui a maratona que a Sandrinha de lá dos E.U.A. fez é isso ae amiga.

Bom final de semana e bons treinos.

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.blogspot.com

Xampa disse...

Valeu Sandra !!! PArabens !!!!
Vc merece o reconhecimento.